28 de out de 2016

FILHOS DE ESTANDARTE PARTICIPAM DO XVII CONGRESSO EUCARÍSTICO NACIONAL EM BELÉM DO PARÁ

Por: Luis Henrique Nina Baltazar


INTRODUÇÃO
              Foi com muita alegria que participamos pela primeira vez de um Congresso Eucarístico Nacional (CEN) e que este ano foi realizado em Belém do Pará, no período de 15 a 21 de agosto, ocasião, certamente, de grande enriquecimento eclesial, espiritual, vocacional, e pastoral para toda a Igreja. Contei com a companhia de meu amigo e companheiro de caminhada, o Seminarista Emerson Adriano e da Religiosa da Diocese da cidade de Bacabal-MA, a Ir. Brandina, além da companhia, hospedagem e apoio da família Miranda e da família Farias.






             A Eucaristia é o maior tesouro da Igreja Católica, porquanto é a presença do próprio Jesus Cristo no meio do povo de Deus. O povo das Escrituras caminhava para a terra prometida, levando consigo a Arca da Aliança, com as Tábuas da Lei, sendo orientado por meio de Moisés e seus colaboradores. O povo do Novo Testamento caminha na história, em vista de novos céus e novas terras, levando consigo Jesus Cristo, alimentado pela Palavra das Escrituras e pela Eucaristia.
             Um Congresso Eucarístico, portanto, quer reafirmar esta certeza: Ele está no meio de nós! É um convite a todos que creem nesta verdade: Vinde e Vede! (Jo 1,39). Um Congresso Eucarístico quer ser a convergência de todas as pessoas que professam a fé católica na realidade da Santíssima Eucaristia e que desejam dar um testemunho público de sua fé na presença real do Senhor Jesus, animando, consolando e convertendo os fiéis. O Congresso Eucarístico é uma demonstração pública de nossa fé pessoal: anunciamos sua morte e proclamamos sua ressurreição! Vinde Senhor Jesus!

HISTÓRICO
             O primeiro Congresso Eucarístico foi celebrado em 1881 em Lille (França), por iniciativa de um grupo de fiéis leigos, apoiados por São Pedro Julião Eymard. Foi uma celebração solene, do qual participaram fiéis e bispos de vários países da Europa. De lá para cá, outros países quiseram repetir a essa importante iniciativa da Fé Católica no mundo.
             Desde o início, os Congressos Eucarísticos tiveram três características essenciais:              1) Aprofundar a doutrina cristã sobre a Eucaristia; 2) Prestar culto público e solene ao Santíssimo Sacramento: adoração e reparação; 3) Manifestar a universalidade e unidade da Igreja.
Posteriormente, os Congressos Eucarísticos passaram a se preocupar também com outros aspectos sócio-políticos diversificados e temáticas específicas: Irradiar para a Igreja e para a sociedade os frutos da Eucaristia na ação social.
             Seminários temáticos para públicos específicos: crianças, jovens, militares, universitários, operários, políticos, empresários, casais, idosos, doentes, deficientes, prisioneiros, dependentes de drogas, marginalizados e excluídos. Os principais temas foram: Eucaristia e Missionariedade; Eucaristia, Evangelização e Meios de Comunicação Social.
             Para atingir seus objetivos, os Congressos Eucarísticos realizam atividades diversificadas como: Reflexões teológico-pastorais; Solenes celebrações litúrgicas; Programas populares de educação da fé: missões populares; Jornadas sociais em favor dos pobres e excluídos.
              No Brasil já foram realizados dezessete Congressos Eucarísticos Nacionais, sendo o primeiro realizado em Salvador – Bahia em 1933 e os demais em várias capitais e cidades conforme demonstra o quadro a seguir.
ANO
LOCAL
TEMA
1933
BAHIA.JPG Bahia - Salvador
"Vinde, adoremos o Santíssimo Sacramento"
1936
Libertas.jpg Minas Gerais - Belo Horizonte
"Luz e Vida"
1939
Pernambuco.gif Pernambuco - Recife
"A Eucaristia e a vida cristã"
1942
Flags.SP.jpg São Paulo - São Paulo
"Vinde a mim todos"
1948
Bandeirars1.jpg Rio Grande do Sul - Porto Alegre
"Ação Social"
1953
Bandeira Para.jpg Pará - Belém
"A Sagrada Eucaristia, sacramento da unidade e da comunidade"
1960
Bandeira parana.jpg Paraná - Curitiba
"Eucaristia, luz e vida do mundo"
1970
Bandeira7.jpg Distrito Federal - Brasília
"A mesa do Senhor"
1975
Bandeira-amazonas.jpg Amazonas - Manaus
"Repartir o Pão"
10º
1980
Bandeira-ceara-2.jpg Ceará - Fortaleza
"Para onde vais?"
11º
1985
Flags.SP.jpg São Paulo - Aparecida do Norte
"Pão para quem tem fome"
12º
1991
Bandeira do rio grande do n.jpg Rio Grande do Norte – Natal
"Eucaristia e Evangelização"
13º
1996
Es.gif Espírito Santo - Vitória
"Venham para a Ceia do Senhor!"
14º
2001
Flags.SP.jpg São Paulo - Campinas
"Fonte da missão e Vida solidária"
15º
2006
Bandeira Santacatarina.jpg Santa Catarina - Florianópolis
"Ele está no meio de nós!"
16º
2010
Bandeira7.jpg Distrito Federal - Brasília
"Eucaristia, pão da unidade dos discípulos missionários"
17º
2016
 Resultado de imagem para bandeira do pará vetor Pará - Belém

“Eucaristia e partilha na Amazônia missionária”

            O 16º Congresso Eucarístico Nacional, realizado em Brasília, de 13 a 16 de maio de 2010, teve como tema “Eucaristia, Pão da Unidade dos Discípulos Missionários” que inspirado na V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe que aconteceu em Aparecida em maio de 2007.
               O Papa João Paulo II esteve presente em dois CEN, sendo o primeiro em Fortaleza - CE (1980) e o segundo em Natal - RN (1991). Nos demais ele foi representado por um Enviado Especial.

EM BELÉM
               O XVII CEN aconteceu em Belém do Pará, nos dias 15 a 21 de agosto de 2016, com o tema: “Eucaristia e Partilha na Amazônia missionária: Eles o reconheceram no partir do Pão” (Lc 24,35).
              Para esta ocasião o Papa Francisco enviou como Legado Pontifício o Cardeal Dom Claudio Hummes (Arcebispo Emérito de São Paulo e Presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia). Neste ano está sendo celebrado o quarto centenário da cidade de Belém que foi no dia 12 de janeiro e do início da Evangelização da Amazônia. Completam-se ainda os 110 anos de elevação da então Diocese a Arquidiocese e Sede Metropolitana.

SIMPÓSIO TEOLÓGICO
            Como parte da programação do CEN-2016, além das missas, workshops e conferências com variados temas referentes à Liturgia e à Eucaristia, participamos, também, de Simpósios Teológicos, dentre ele destacamos os seguintes:
-“A ESPIRITUALIDADE LITURGICA A LUZ DO CONCILIO VATICANO II”,
 que teve como Assessor Dom Marcony – Bispo auxiliar de Brasília e Frei Faustino Palludo – CNBB
-“LEX ET CHARITAS” A EUCARISTIA À LUZ DO CÓDIGO DO DIREITO CANÔNICO DE 1983, cujo Assessor foi dom José Aparecido Gonçalves de Almeida, Bispo auxiliar de Brasília, Doutor em Direito Canônico e que foi subsecretário do Conselho Pontifício para os Textos Legislativos (2010-2013) e atualmente é consultor da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.
             A Igreja de Belém, assim como as de todo o país, certamente colherá muitos frutos deste grandioso acontecimento religioso, através da Comissão de Organização, que assim declara:
“O XVII Congresso Eucarístico Nacional – CEN2016, que foi realizado na cidade de Belém do Pará, de 15 a 21 de agosto de 2016, vem em um momento oportuno, pois desejamos tornar visível em todo o Brasil a força da Eucaristia e ação missionária na Amazônia; de um povo de fé, que testemunha com sua cultura e maneira de ser, uma Igreja viva no Norte do Brasil. Por isso o CEN2016 teve como tema “Eucaristia e Partilha na Amazônia Missionária” e como lema “Eles o reconheceram no partir do Pão”.
            Agrademos a Deus a e Diocese de Zé Doca, na pessoa do Bispo Diocesano Dom João Kot OMI, pela oportunidade, apoio e incentivo que nos foram dados e que certamente darão muitos frutos na nossa vida vocacional, espiritual e pastoral bem como para toda a Igreja particular de Zé Doca.

            Agradeço à Família Miranda especificamente a Degmar, Iolanda e Almira Miranda Lobato que também se fizeram presentes no CEN. Estendo meu agradecimento Marcilene Farias e família que me acolheram e me acompanharam durante estes dias que passei na cristianíssima e mariana Cidade Guajarina de Santa Maria de Belém do Grão Pará, Belém da Amazônia, Belém de Nazaré, Belém do Pará.

14 de set de 2016

EM ESTANDARTE, "O CÍRIO DA MISERICÓRDIA"

Por Henrique Baltazar

Considerando o Ano Santo da Misericórdia (dezembro de 2015 a novembro de 2016), instituído pelo Papa Francisco, a Igreja Católica Apostólica Romana celebra, em todos os cantos do mundo onde se faz presente, "a misericórdia como plano de Deus e projeto de vida dos fiéis católicos para a convivência com os irmãos e salvação". Assim o programa de vida é: "Sede misericordiosos como o Pai" (Lc 6,36).
Assim também, com esse mesmo sentimento e objetivo, a Comunidade Católica de Nossa Senhora de Nazaré em Estandarte, pertencente à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, se preparou para realizar o Círio de número 88 em honra e louvor à sua Padroeira,  com o tema: "Maria, consoladora dos aflitos, Mãe de Misericórdia".
Desde o dia 19 de julho iniciaram as peregrinações pelas ruas e casas da localidade, onde a comunidade foi convidada a refletir sobre a misericórdia de Deus por meio do sim de Maria, Mãe de Misericórdia, missionária e evangelhizadora ao lado do seu Filho Jesus e dos Apóstolos, e também sempre junto do povo, especialmente dos mais necessitados e aflitos.
No dia 06 de agosto por volta das 06h, à imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi trazida em procissão de volta à Igreja após percorrer todos os bairros de Estandarte. O momento foi marcado pela alvorada com fogos, orações e café comunitário como forma de saudação à Maria pelos estandartenses. Nesse mesmo dia, às 19h, foi realizada a abertura solene da festa do Círio de Nazaré 2016, com missa presidida pelo Pároco Padre Raimundo Pereira (Padre Nato).
Entre os dias 07 e 12 de agosto a programação seguiu com celebrações eucarísticas presididas por diversos padres da Diocese de Zé Doca, leilões, shows religiosos, atividades culturais e das crianças. Também foi feita a apresentação do Manto que foi usado na Trasladação e no Círio, o que ocorreu com a participação de grupos, pastorais e movimentos da comunidade matriz de Cândido Mendes e da Paróquia de Amapá do Maranhão.
Na véspera do Círio, dia 13 de agosto, foi realizada por volta das 14h mais uma bonita Procissão  do Mar, ou seja, sobre as caudalosas águas do Santa Cruz, rio que banha e margeia a Bela Ilha Estandarte. Este dia encerrou com a Santa Missa na Praça, seguida da Trasladação com as imagens do Sagrado Coração de Jesus e de Nossa Senhora de Nazaré rumo sua capela do Sagrado, no Bairro 7 de Setembro, onde pernoitou para no dia seguinte acolher todas as orações, pedidos e promessas dos romeiros e devotos filhos de Estandarte e seus convidados.
E como “NA ALMA ESTANDARTENSE É SEMPRE AGOSTO”, o dia 14 não poderia ser diferente. Por volta das 6:30h sai a Berlinda de Nossa Senhora de Nazaré, antecedida pelo Andor de Jesus, carros de anjos, barquinha de marinheiros e muitos outros símbolos significativos que fazem parte da tradição de maior festa religiosa de Estandarte, que em frente a várias  residências a Berlinda, lindamente decorada com flores lilás e folhagens naturais de bambu, faz uma parada para receber homenagens das famílias em agradecimentos por granças alcançadas de Deus por intercessão de Nossa Senhora, 
Este é um momento lindo e divino, o ápice da festa, quando o povo vai oferecendo flores e amores, suas alegrias e dores, mas com fé segue cantando louvores. Tudo isso ao som do hino “VOIS SOIS O LÍRIO MIMOSO” tocado instrumentalmente pela Banda Cantídio Gouveia, a famosa BANDA FURIOSA de Bragança-Pará. 
A bela festa é encerrada com a missa campal, onde uma grande multidão se faz presente para receber a Jesus Eucarístico e a bênção de Deus Pai. E assim mais um Círio de Nazaré acontece pelas ruas de Estandarte, momento em que muitas graças e bênçãos são derramadas por meio da Mãe de Nazaré em Estandarte - a Bela Ilha. 

1 de out de 2015

O MARIANISMO MARANHENSE E SUAS EXPRESSOES NO CULTO MARAIANO

Por Henrique Baltazar

              O marianismo presente na região maranhense, especificamente na região litorânea da Diocese de Zé Doca, possui grandes influências da devoção popular trazida através de promesseiros do Estado do Pará. O culto prestado à Maria, chamada de Nossa Senhora de Nazaré, se traduz na realização dos chamados “Círio de Nazaré.”
             O nome origina-se da grande vela do círio pascal que era acesa e levada na procissão noturna que conduzia a imagem de Nossa Senhora de Nazaré em Belém do Pará, da sua Basílica para a Catedral Metropolitana.
             A História do Círio de Nazaré em Belém tem início a partir do achado de uma imagem de Nossa Senhora por um caboclo chamado Plácido, no local que, há 222 anos atrás, havia apenas um igarapé chamado de Murucutu e onde hoje se localiza a Basílica Santuário de Nazaré. A cada ano esta procissão do Círio em Belém aumenta em número de participantes de diversas partes do mundo.
              Em Estandarte (Comunidade do Município de Candido Mendes, localizada na região de praias), há 87 ano, uma promesseira do Círio de Belém, chamada Maria Antônia, que veio morar em Estandarte, iniciou a devoção à Nossa Senhora de Nazaré, através de uma procissão que saiu, no final da tarde do dia 13 de agosto da Capelinha de Nossa Senhora do Livramento (localizada no bairro do Alto) para o Sítio da Sra. Valentina Queiroz, iluminada por balões de velas, de onde voltou no dia seguinte (14) pela manhã bem cedinho, retornando para a referida capela.
             Com o passar do tempo e das gerações, esta festa religiosa dos católicos nesta vila foi assumida por outras famílias que a cada ano se revezavam na organização deste evento. Dizem os antigos que a Sra. Maria Antônia ficou à frente da organização e realização desta festa por vários anos e a partir daí várias coordenações do círio foram se sucedendo, sendo até hoje a coordenação da comunidade católica é quem organiza e realiza este grande e festivo evento, juntamente com o povo católico da vila, fazendo-se presentes também os filhos e amigos da terra espalhados por Belém, São Luís, Bragança e outras cidades. O Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Estandarte acontece sempre no mesmo dia: 14 de agosto.
             Esta festa cresceu muito e sofreu várias alterações, sendo incluídas outras atividades, como acontece atualmente com as peregrinações que iniciam a quadra nazarena no final do mês de julho com terços e ladainhas realizadas pelas famílias, e a partir do dia 06 até o dia 12 de agosto acontecem as novenas bastante festivas com alvoradas, café da manhã, orações, missas leilões e celebrações. E, assim, a festa dedicada à Nossa Senhora de Nazaré a cada ano vai ganhando forma e peculiaridades, sem mudar o seu grande objetivo que é louvar a Mãe de Deus.
            O ponto alto se realiza nos dia 13 e 14 com uma extensa programação, já com a presença em grande massa do povo, do pároco, de padres filhos da terra, convidados e do ministério de música da paróquia. No dia 13 pela manhã ou conforme o horário da maré, a procissão marítima conduz a imagem em procissão com várias embarcações pelo Rio Santa Cruz que circunda a Ilha Estandarte, à tarde são realizados os batizados e à noite a missa com casamentos e em seguida a trasladação da imagem da Virgem Maria para a Capela do Sagrado Coração de Jesus. No dia seguinte (14) pela manhã cedo é realizada a grande procissão – o Círio – que encerra com a Missa na Praça Nossa Senhora de Nazaré.
              A berlinda é carregada pelos fieis sendo conduzida pelas ruas e por uma corda puxada pelo povo até chegar à praça onde se realiza a missa campal, a consagração e a benção final com a imagem. A berlinda é enfeitada com flores e o manto bordado com pedrarias, lantejoulas, fios dourados entre outras especiarias, sendo ambos doados por promesseiros filhos da terra.
             Uma semana depois é realizado o Recírio, uma procissão que há 5 anos passou a fazer parte do calendário das festas deste evento de Estandarte, com o objetivo de separar as atividades religiosas das mundanas que chegavam a tumultuar e prejudicar as atividades do dia 15 que era destinado ao dia da Padroeira de Estandarte, visto que é um dia santo (dia da Assunção de Nossa Senhora). Atualmente o Recírio é a última homenagem do povo à Maria neste período dedicado ao culto mariano.
             Nos últimos anos tem se travado uma grande batalha para separar as atividades religiosas das atividades profanas, cujo barulho dos grandes sons da região chamados de aparelhagens, a venda e o consumo de bebidas alcoólicas atrapalham a realização das atividades da Igreja, ao mesmo tempo em que contradizem com o grande objetivo do evento que é conduzir os fiéis a um verdadeiro encontro com Jesus por meio de Maria.
          O Círio de Nazaré une e reúne as famílias, parentes e amigos que moram longe e que aproveitam o período do Círio para se confraternizarem. É também um momento de alegria e renovação da fé católica, não deixando de ser um lindo tempo de evangelização, além da exposição cultural e artística da ilha.
              Como se observa, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Estandarte tem o seu formato próprio, mas seguindo o modelo do grande evento de Belém com suas atividades religiosas e culturais.
            Algumas fotos a seguir ilustram este texto, demonstrando a expressão dos filhos de Estandarte com o compromisso de fazer do culto à Maria um caminhar para Deus.






  
 
 






12 de mar de 2015

7º SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE DE ESTANDARTE

O 7º Seminário de Educação e Meio Ambiente de Estandarte, com o tema “Conhecendo a História para Preservar a Ilha: comunicando saberes para multiplicar consciências”, realizado em Estandarte no período de 06 a 09 de março de 2015, como um dos importantes eventos da Associação de Preservação Ambiental e Cultural de Estandarte (APAES), foi 100% positivo, um momento de grande relevância na Ilha que superou todas as expectativas da coordenação.
Sob a coordenação das Professoras Iolanda Miranda, Maria de Jesus Mendes e Edna Miranda, este seminário, contou com a presença de 83 participantes, entre professores, alunos e comunitários que, durante quatro dias, mudaram o cenário de Estandarte.
Como em todas as versões já realizadas anteriormente, este seminário teve como objetivo geral levar os participantes a refletirem sobre as questões de degradação ambiental de Estandarte e das demais comunidades vizinhas (depredação do patrimônio ambiental e cultural, lixo, derrubada das árvores, queimadas, poluição dos igarapés e orla etc.), através do conhecimento da história e da comunicação, a fim de os moradores tomarem atitudes para a proteção ambiental. E como objetivos específicos elencou-os seguintes:
  Promover um grande encontro onde seja debatida, refletida e trabalhada a grande questão ambiental.
  Discutir com os educadores propostas pedagógicas para serem trabalhadas em sala de aula, a fim de formar uma nova conduta dos estudantes e suas famílias diante dos problemas ambientais na comunidade.
  Discutir com os alunos e a comunidade temas ambientais para uma conscientização coletiva a fim de que todos tornem-se multiplicadores de saberes à formação de consciências para reverter a degradação ambiental em Estandarte e a diminuir os impactos com o lixo nos espaços públicos.
Como metodologia para trabalhar os temas ambientais e educacionais foram desenvolvidos: curso, palestras, oficinas, exibição de filmes, grupos de trabalho (GT), caminhada ecológica e debates. Os participantes formaram 04 GT e produziram documentos que foram socializados e seguidos de propostas para resolução dos problemas.
Os Ministrantes foram os Mestres Élida Fabiani de Cristo e Jorge Oscar Miranda, ambos da Universidade Federal do Pará, que realizaram um excelente trabalho, cujas atividades se desenvolveram por meio de um curso, palestras, debates, filmes, oficinas e caminhada, conforme programa a seguir:










PROGRAMA:
àDia 06/03/2015
Manhã10 às 11h
-Credenciamento, Abertura e Apresentação dos Professores Ministrantes do Seminário e do tema: Conhecendo a História para preservar a Ilha
Tarde 14:30 às 18h
-Palestra: Formação do cidadão para a preservação do meio ambiente da Ilha – uma perspectiva sócio-histórica e comunicativa – 09 às 11h
Noite 19 às 20h – exibição de filme e debate
àDia 07/03/2015
Manhã 08 às 12h e
Curso: História, Educação Ambiental e Comunicação: Planejamento, Temas Geradores, Interdisciplinaridade/ Transversalidade
Tarde 14 à 18h
14 às 16h: Curso: História, Educação Ambiental e Comunicação: Planejamento, Temas Geradores, Interdisciplinaridade/ Transversalidade (continuação)
16 às 18h: Formação de Grupos de Trabalho (GT): Preparação de propostas de trabalhos para exercer a cidadania nas comunidades
Noite 19 às 20 – exibição de filme e debate
àDia 08/03/2015
Manhã 08 às 12h
08 às 09h: Caminhada ecológica para observação do meio ambiente e dos principais pontos de impacto ambiental
09 às 10h - Momento Especial – Homenagem às mulheres pelo dia dedicado a elas
10 às 12 – Oficina pedagógica: Preparação de material didático sobre educação ambiental para o ensino infantil, fundamental e medido
Tarde 14 às 17h
Oficina pedagógica: Preparação de material didático sobre educação ambiental para o ensino infantil, fundamental e médio
Noite 19 às 21h – Exibição de Slides sobre Estandarte
– Apresentação do patrimônio cultural e ambiental de Estandarte
àDia 09/03/2015
Manhã 08 às 12h
- Apresentação das produções dos GT e debate
Tarde 14:30 às 18h
- Encerramento, avaliação, agradecimentos e entrega de certificados.
Como propostas resultantes deste evento, foram elencadas: a necessidade de um aterro sanitário que será levado ao conhecimento da administração municipal; a elaboração de projetos escolares com temas transversais sobre a questão ambiental para serem trabalhados em sala de aula; e realização de um trabalho de conscientização à população através dos meios de comunicação das comunidades envolvidas

O Seminário foi um momento para falar do patrimônio ambiental e cultural de Estandarte já bastante degradados e possibilidades de reverter esse quadro degradante, quando foi também distribuído o livro “Estandarte, a Bela Ilha: resgatando sua história da origem à atualidade” entre os participantes. As comunidades Estandarte e Barão de Tromaí fizeram do evento um momento de partilha e amizade, comprometendo-se em debater nas escolas a questão ambiental, chamando a atenção para a necessidade urgente da preservação ambiental nas comunidades.

12 de nov de 2014

PARABÉNS, ILHA QUERIDA!

No próximo dia 22 do corrente mês, Estandarte a "Bela Ilha", estará de berço, completando seus 65 anos de emancipação como Vila-Distrito do Município de Cândido Mendes. Ao longo desse tempo, muito caminhou, prosperou e continua embalando seu sonho de ser uma comunidade de "gente alegre", caprichosa, altaneira e hospitaleira, que busca ser feliz todos os dias, em cada manhã festiva e em cada noite silenciosa e iluminada pelas estrelas da esperança.
Neste novo aniversário, teu povo, na alegria das crianças e nos sonhos das famílias, onde homens e mulheres sentem orgulho de serem chamados "filhos da terra", vêm cantar contigo teu canto mais forte e importante, para dizer o quanto te ama. Que o futuro nos seja próspero! Bela Ilha, parabéns!
HINO DE ESTANDARTE
Estandarte és rincão querido,
Terra onde eu nasci.
Estandarte és rincão querido,
O teu nome eu guardo aqui
O teu solo é muito rico,
O teu povo é varonil.
Terra de grande beleza,
És um pedaço do Brasil.
Tens matas verdes, tens céu azul
Onde aparece o cruzeiro do sul
Teu coqueiro verde-mar
Que fica prateado ao luar!
Teu coqueiro verde-mar
Que fica prateado ao luar!